Terça, 16 Fevereiro 2021 10:53

Salmo 19

1.Ao mestre de canto. Salmo de Davi.* 2.Que o Senhor te escute no dia da provação, e te proteja o nome do Deus de Jacó. 3.Do seu santuário ele te socorra, e de Sião ele te sustente. 4.Lembre-se de tuas ofertas, e aceite os teus sacrifícios. 5.Conceda-te o que teu coração anseia, e realize todos os teus desejos. 6.Possamos nós alegrar-nos com tua vitória e levantar as bandeiras em nome de nosso Deus. Sim, que o Senhor realize todos os teus pedidos. 7.Já sei que o Senhor reservou a vitória para seu ungido, e o ouviu do alto de seu santuário pelo poder de seu braço vencedor.* 8.Uns põem sua força nos carros, outros, nos cavalos. Nós, porém, a temos em nome do Senhor, nosso Deus. 9.Eles fraquejaram e foram vencidos, mas nós, de pé, continuamos firmes. 10.Senhor, dai a vitória ao rei, e ouvi-nos no dia em que vos invocarmos.
Publicado Publicado em Mural

Quinta, 11 Fevereiro 2021 09:06

Salmo 18

"1.Ao mestre de canto. Salmo de Davi.*  2.Narram os céus a glória de Deus, e o firmamento anuncia a obra de suas mãos.  3.O dia ao outro transmite essa mensagem, e uma noite à outra a repete.  4.Não é uma língua nem são palavras, cujo sentido não se perceba,  5.porque por toda a terra se espalha o seu ruído, e até os confins do mundo a sua voz; aí armou Deus para o sol uma tenda.*  6.E este, qual esposo que sai do seu tálamo, exulta, como um gigante, a percorrer seu caminho.  7.Sai de um extremo do céu, e no outro termina o seu curso; nada se furta ao seu calor.  8.A Lei do Senhor é perfeita, reconforta a alma; a ordem do Senhor é segura, instrui o simples.  9.Os preceitos do Senhor são retos, deleitam o coração; o mandamento do Senhor é luminoso, esclarece os olhos.  10.O temor do Senhor é puro, subsiste eternamente; os juízos do Senhor são verdadeiros, todos igualmente justos. 11.Mais desejáveis que o ouro, que uma barra de ouro fino; mais doces que o mel, que o puro mel dos favos.  12.Ainda que vosso servo neles atente, guardando-os com todo o cuidado;  13.quem pode, entretanto, ver as próprias faltas? Purificai-me das que me são ocultas.  14.Preservai, também, vosso servo do orgulho; não domine ele sobre mim, então serei íntegro e limpo de falta grave. 15.Aceitai as palavras de meus lábios e os pensamentos de meu coração, na vossa presença, Senhor, minha rocha e meu redentor."
Publicado Publicado em Mural

Quarta, 10 Fevereiro 2021 13:07

Salmo 17

"1.Ao mestre de canto. De Davi, servo do Senhor, que dirigiu as palavras deste cântico ao Senhor, no dia em que ficou livre de todos os seus inimigos e das mãos de Saul.* 2.Disse: Eu vos amo, Senhor, minha força! 3.O Senhor é o meu rochedo, minha fortaleza e meu libertador. Meu Deus é a minha rocha, onde encontro o meu refúgio, meu escudo, força de minha salvação e minha cidadela. 4.Invoco o Senhor, digno de todo louvor, e fico livre dos meus inimigos. 5.Circundavam-me os vagalhões da morte, torrentes devastadoras me atemorizavam, 6.enlaçavam-se as cadeias da habitação dos mortos, a própria morte me prendia em suas redes. 7.Na minha angústia, invoquei o Senhor, gritei para meu Deus: do seu templo ele ouviu a minha voz, e o meu clamor em sua presença chegou aos seus ouvidos. 8.A terra vacilou e tremeu, os fundamentos das montanhas fremiram, abalaram-se, porque Deus se abrasou em cólera: 9.suas narinas exalavam fumaça; sua boca, fogo devorador, brasas incandescentes. 10.Ele inclinou os céus e desceu, calcando aos pés escuras nuvens. 11.Cavalgou sobre um querubim e voou, planando nas asas do vento. 12.Envolveu-se nas trevas como se fossem véu, fez para si uma tenda das águas tenebrosas, densas nuvens. 13.Do esplendor de sua presença suas nuvens avançaram: saraiva e centelhas de fogo. 14.Do céu trovejou o Senhor, o Altíssimo fez ressoar sua voz. 15.Lançou setas e dispersou os inimigos, fulminou relâmpagos e os desbaratou.* 16.E apareceu descoberto o leito do mar, ficaram à vista os fundamentos da terra, ante a vossa ameaçadora voz, ó Senhor, ante o furacão de vossa cólera. 17.Do alto estendeu a sua mão e me pegou, e retirou-me das águas profundas, 18.livrou-me de inimigo poderoso, dos meus adversários mais fortes do que eu. 19.Investiram contra mim no dia do meu infortúnio, mas o Senhor foi o meu arrimo; 20.pôs-me a salvo e livrou-me, porque me ama. 21.O Senhor me tratou segundo a minha inocência, retribuiu-me segundo a pureza de minhas mãos, 22.porque guardei os caminhos do Senhor e não pequei separando-me do meu Deus. 23.Tenho diante dos olhos todos os seus preceitos e não me desvio de suas leis. 24.Ando irrepreensivelmente diante dele, guardando-me do meu pecado. 25.O Senhor retribuiu-me segundo a minha justiça, segundo a pureza de minhas mãos diante dos seus olhos. 26.Com quem é bondoso vos mostrais bondoso, com o homem íntegro vos mostrais íntegro; 27.puro com quem é puro; prudente com quem é astuto. 28.Os humildes salvais, os semblantes soberbos humilhais. 29.Senhor, sois vós que fazeis brilhar o meu farol, sois vós que dissipais as minhas trevas. 30.Convosco afrontarei batalhões, com meu Deus escalarei muralhas. 31.Os caminhos de Deus são perfeitos, a palavra do Senhor é pura. Ele é o escudo de todos os que nele se refugiam. 32.Pois quem é Deus senão o Senhor? Quem é o rochedo, senão o nosso Deus? 33.É Deus quem me cinge de coragem e aplana o meu caminho. 34.Torna os meus pés velozes como os das gazelas e me instala nas alturas. 35.Adestra minhas mãos para o combate e meus braços para o tiro de arco. 36.Vós me dais o escudo que me salva. Vossa destra me sustém, e vossa bondade me engrandece. 37.Alargais o caminho a meus passos, para meus pés não resvalarem. 38.Dou caça aos inimigos e os alcanço, e não volto sem que os tenha aniquilado. 39.De tal sorte os despedaço, que não mais poderão levantar-se: eles ficam caídos a meus pés. 40.Vós me cingis de coragem para a luta e ante mim dobrais os meus adversários. 41.Afugentais da minha presença os meus inimigos e reduzis ao silêncio os que me aborrecem. 42.Gritam por socorro, mas não há quem os salve; clamam ao Senhor, mas não responde... 43.Eu os disperso como o pó que o vento leva, e os esmago como o barro das estradas. 44.Vós me livrais das revoltas do povo e me colocais à frente das nações; povos que eu desconhecia se tornaram meus servos. 45.Gente estranha me serve abnegadamente e me obedece à primeira intimação. 46.Gente estranha desfalece e sai tremendo de seus esconderijos. 47.Viva o Senhor e bendito seja o meu rochedo! Exaltado seja Deus, que me salva! 48.Deus, que me proporciona a vingança e avassala nações a meus pés. 49.Sois vós que me libertais dos meus inimigos, me exaltais acima dos meus adversários e me salvais do homem violento. 50.Por isso vos louvarei, ó Senhor, entre as nações e celebrarei o vosso nome.* 51.Ele prepara grandes vitórias a seu rei e faz misericórdia a seu ungido, a Davi e a sua descendência para sempre."
Publicado Publicado em Mural

Terça, 09 Fevereiro 2021 12:29

Salmo 16

"1.Súplica de Davi. Ouvi, Senhor, uma causa justa! Atendei a meu clamor! Escutai minha prece, de lábios sem malícia.* 2.Venha de vós o meu julgamento, e vossos olhos reconheçam que sou íntegro. 3.Podeis sondar meu coração, visitá-lo à noite, prová-lo pelo fogo, não encontrareis iniquidade em mim. 4.Minha boca não pecou, como costumam os homens; conforme as palavras dos vossos lábios, segui os caminhos da lei. 5.Meus passos se mantiveram firmes nas vossas sendas, meus pés não titubearam. 6.Eu vos invoco, pois me atendereis, Senhor; inclinai vossos ouvidos para mim, escutai minha voz. 7.Mostrai a vossa admirável misericórdia, vós que salvais dos adversários os que se acolhem à vossa direita. 8.Guardai-me como a pupila dos olhos, escondei-me à sombra de vossas asas, 9.longe dos pecadores, que me querem fazer violência. Meus inimigos me rodeiam com furor. 10.Seu coração endurecido se fecha à piedade; só têm na boca palavras arrogantes. 11.Eis que agora me cercam, espreitam para me prostrar por terra; 12.qual leão que se atira ávido sobre a presa, e como o leãozinho no seu covil. 13.Levantai-vos, Senhor, correi-lhe ao encontro, derrubai-o; com vossa espada livrai-me do pecador, 14.com vossa mão livrai-me dos homens, desses cuja única felicidade está nesta vida, que têm o ventre repleto de bens, cujos filhos vivem na abundância e deixam ainda aos seus filhos o que lhes sobra. 15.Mas eu, confiado na vossa justiça, contemplarei a vossa face; ao despertar, irei saciar-me com a visão de vosso ser."
Publicado Publicado em Mural

Segunda, 08 Fevereiro 2021 17:25

Salmo 15

"1.Poema de Davi. Guardai-me, ó Deus, porque é em vós que procuro refúgio.* 2.Digo a Deus: “Sois o meu Senhor, fora de vós não há felicidade para mim”. 3.Quão admirável tornou Deus o meu afeto para com os santos que estão em sua terra. 4.Numerosos são os sofrimentos que suportam aqueles que se entregam a estranhos deuses. Não hei de oferecer suas libações de sangue e meus lábios jamais pronunciarão o nome de seus ídolos. 5.Senhor, vós sois a minha parte de herança e meu cálice; vós tendes nas mãos o meu destino. 6.O cordel mediu para mim um lote aprazível, muito me agrada a minha herança.* 7.Bendigo o Senhor porque me deu conselho, porque mesmo de noite o coração me exorta. 8.Ponho sempre o Senhor diante dos olhos, pois ele está à minha direita; não vacilarei. 9.Por isso, meu coração se alegra e minha alma exulta, até meu corpo descansará seguro, 10.porque vós não abandonareis minha alma na habitação dos mortos, nem permitireis que vosso Santo conheça a corrupção.* 11.Vós me ensinareis o caminho da vida, há abundância de alegria junto de vós, e delícias eternas à vossa direita.*"
Publicado Publicado em Mural

Quinta, 04 Fevereiro 2021 17:43

Salmo 13

1 Ao mestre de canto. De Davi. Diz o insensato em seu coração: “Não há Deus”. Corromperam-se os homens, sua coduta é abominável, não há um só que faça o bem.* 2 O Senhor, do alto do céu, observa os filhos dos homens, para ver se, acaso, existe alguém sensato que busque a Deus. 3 Mas todos eles se extraviaram e se perverteram; não há mais ninguém que faça o bem, nem um, nem mesmo um só.* 4 Não se emendarão esses obreiros do mal, que devoram meu povo como quem come pão? Eles que não invocam o Senhor? 5 Mas irão tremer de pavor, porque Deus está com a raça dos justos; 6 pretendeis frustrar os planos do humilde, mas o Senhor é seu refúgio. 7 Ah, que venha de Sião a salvação de Israel! Quando o Senhor tiver mudado a sorte de seu povo, Jacó exultará e Israel se alegrará.
Publicado Publicado em Mural

Quarta, 03 Fevereiro 2021 09:53

Salmo 12

1 Ao mestre de canto. Salmo de Davi.* 2 Até quando, Senhor, de todo vos esquecereis de mim? Por quanto tempo ainda desviareis de mim os vossos olhares? 3 Até quando aninharei a angústia na minha alma, e, dia após dia, a tristeza no coração? 4 Até quando se levantará o meu inimigo contra mim? Olhai! Ouvi-me, Senhor, ó meu Deus! 5 Iluminai meus olhos com vossa luz, para eu não adormecer na morte, para que meu inimigo não venha a dizer: “Venci-o”; 6 e meus adversários não triunfem no momento de minha queda, eu que confiei em vossa misericórdia. Antes possa meu coração regozijar-se em vosso socorro! Então cantarei ao Senhor pelos benefícios que me concedeu.
Publicado Publicado em Mural

Segunda, 01 Fevereiro 2021 09:29

Salmo 11

1 Ao mestre de canto. Uma oitava abaixo. Salmo de Davi.* 2 Salvai-nos, Senhor, pois desaparecem os homens piedosos, e a lealdade se extingue entre os homens. 3 Uns não têm para com os outros senão palavras mentirosas; adulação na boca, duplicidade no coração. 4 Que o Senhor extirpe os lábios hipócritas e a língua insolente. 5 Aqueles que dizem: “Dominaremos pela nossa língua, nossos lábios trabalham para nós, quem nos será senhor?”. 6 Responde, porém, o Senhor: “Por causa da aflição dos humildes e dos gemidos dos pobres, irei levantar-me para lhes dar a salvação que desejam”. 7 As palavras do Senhor são palavras sinceras, puras como a prata acrisolada, isenta de ganga, sete vezes depurada. 8 Vós, Senhor, haveis de nos guardar, defender-nos sempre dessa raça maléfica, 9 porque os ímpios andam de todos os lados, enquanto a vileza se ergue entre os homens.*
Publicado Publicado em Mural

Domingo, 31 Janeiro 2021 15:59

Salmo 10

1 Ao mestre de canto. De Davi. É junto do Senhor que procuro refúgio. Por que dizer-me: “Foge, velozmente, para a montanha, como um pássaro;* 2 eis que os maus entesam seu arco e ajustam a flecha na corda, para ferir, de noite, os que têm o coração reto. 3 Quando os próprios fundamentos se abalam, que pode fazer ainda o justo?”. 4 Entretanto, o Senhor habita em seu templo, o Senhor tem seu trono no céu. Sua vista está atenta, seus olhares observam os filhos dos homens.* 5 O Senhor sonda o justo como o ímpio, mas aquele que ama a injustiça, ele o aborrece. 6 Sobre os ímpios ele fará cair uma chuva de fogo e de enxofre; um vento abrasador de procela será o seu quinhão. 7 Porque o Senhor é justo, ele ama a justiça; e os homens retos contemplarão a sua face.  
Publicado Publicado em Mural

Sábado, 30 Janeiro 2021 12:56

Salmo 9

1 Ao mestre de canto. Segundo a melodia “A morte para o filho”. Salmo de Davi.* 2 Eu vos louvarei, Senhor, de todo o coração, todas as vossas maravilhas narrarei. 3 Em vós eu estremeço de alegria, cantarei vosso nome, ó Altíssimo! 4 Porque meus inimigos recuaram, fraquejaram, pereceram ante a vossa face. 5 Pois tomastes a vós meu direito e minha causa; assentastes, ó justo Juiz, em vosso tribunal. 6 Com efeito, perseguistes as nações, destruístes o ímpio; apagastes, para sempre, o seu nome. 7 Meus inimigos pereceram, consumou-se sua ruína eterna; demolistes suas cidades, sua própria lembrança se acabou. 8 O Senhor, porém, domina eternamente; num trono sólido, ele pronuncia seus julgamentos. 9 Ele mesmo julgará o universo com justiça, com equidade pronunciará sentença sobre os povos. 10 O Senhor torna-se refúgio para o oprimido, uma defesa oportuna para os tempos de perigo. 11 Aqueles que conheceram vosso nome confiarão em vós, porque, Senhor, jamais abandonais quem vos procura. 12 Salmodiai ao Senhor, que habita em Sião; proclamai seus altos feitos entre os povos. 13 Porque, vingador do sangue derramado, ele se lembra deles e não esqueceu o clamor dos infelizes. 14 Tende piedade de mim, Senhor, vede a miséria a que me reduziram os inimigos; arrancai-me das portas da morte, 15 para que nas portas da filha de Sião eu publique vossos louvores, e me regozije de vosso auxílio.* 16 Caíram as nações no fosso que cavaram; prenderam-se seus pés na armadilha que armaram. 17 O Senhor se manifestou e fez justiça, capturando o ímpio em suas próprias redes. 18 Que os pecadores caiam na região dos mortos, todos esses povos que olvidaram a Deus. 19 O pobre, porém, não ficará no eterno esquecimento; nem a esperança dos aflitos será frustrada para sempre. 20 Levantai-vos, Senhor! Não seja o homem quem tenha a última palavra! Que diante de vós sejam julgadas as nações. 21 Enchei-as de pavor, Senhor, para que saibam que não passam de simples homens. 22 (l) Senhor, por que ficais tão longe? Por que vos ocultais nas horas de angústia? 23 (2) Enquanto o ímpio se enche de orgulho, é vexado o infeliz com as tribulações que aquele tramou. 24 (3) O pecador se gloria até de sua cupidez, o cobiçoso blasfema e despreza a Deus. 25 (4) Em sua arrogância, o ímpio diz: “Não há castigo, Deus não existe”. É tudo e só o que ele pensa. 26 (5) Em todos os tempos, próspero é o curso de sua vida; vossos juízos estão acima de seu alcance; quanto a seus adversários, os despreza a todos. 27 (6) Diz no coração: “Nada me abalará, jamais terei má sorte”. 28 (7) De maledicência, astúcia e dolo sua boca está cheia;* em sua língua só existem palavras injuriosas e ofensivas. 29 (8) Põe-se de emboscada na vizinhança dos povoados, mata o inocente em lugares ocultos; seus olhos vigiam o infeliz. 30 (9) Como um leão no covil, espreita, no escuro; arma ciladas para surpreender o infeliz, colhe-o, na sua rede, e o arrebata. 31 (10) Curva-se, agacha-se no chão, e os infortunados caem em suas garras. 32 (11) Depois diz em seu coração: “Deus depressa se esquecerá, ele voltará a cabeça, nunca vê nada”. 33 (12) Levantai-vos, Senhor! Estendei a mão, e não vos esqueçais dos pobres. 34 (13) Por que razão o ímpio despreza Deus e diz em seu coração “Não haverá castigo?” 35 (14) Entretanto, vós vedes tudo: observais os que penam e sofrem, a fim de tomar a causa deles em vossas mãos. É a vós que se abandona o infortunado, sois vós o amparo do órfão. 36 (15) Esmagai, pois, o braço do pecador perverso; persegui sua malícia, para que não subsista. 37 (16) O Senhor é rei eterno, as nações pagãs desaparecerão de seu domínio. 38 (17) Senhor, ouvistes os desejos dos humildes, confortastes-lhes o coração e os atendestes. 39 (18) Para que justiça seja feita ao órfão e ao oprimido, nem mais incuta terror o homem tirado do pó.
Publicado Publicado em Mural

Página 1 de 2